VERDADE ARTÍSTICA E RESISTÊNCIA POLÍTICA EM KAFKA E QUEERMUSEU

Autores

  • Luciana Barreto Machado Rezende Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v5i01.2587

Resumo

No atual contexto de avanço das forças conservadoras e da progressiva degradação das bases democráticas que assentam o Estado brasileiro, faz-se procedente a releitura crítica de “O artista da fome”, conto da última produção de Franz Kafka (1883 – 1924), bem como do ensaio “O Direito à Literatura”, texto seminal de Antonio Candido. Ao compreendermos o ofício do jejuador como uma alegoria do fazer artístico e da verdade do artista, o qual não sucumbe à indústria da cultura e do entretenimento, a resistência assumida por esse “artista da fome” ilustra a angústia que acomete o homem moderno, imerso nas contradições entre o progresso tecnológico e a exclusão social. Tal situação narrativa se alinha ainda ao episódio de censura à exposição “Queermuseu – Cartografia da Diferença na América Latina”, em função de ataques de grupos religiosos e conservadores, encerrada pelo Santander Cultural em 2017, na cidade gaúcha de Porto Alegre. Além de abordarmos as inovações formais – na narrativa kafkiana na expressão pictural da tela Cruzando Jesus com o Deus Shiva, de Fernando Baril, da referida mostra –, mostramos como a arte e a literatura configuram poderosos e humanizadores instrumentos de educação e instrução, além de apreensão crítica da realidade e engajamento político.

Palavras-chave: Franz Kafka. Queermuseu. Antonio Candido. Arte. Resistência.

Biografia do Autor

Luciana Barreto Machado Rezende, Universidade de Brasília (UnB)

Doutorou-se, em 2017, em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília, com a tese A Poética da Queda em Avalovara em diálogo com A Divina Comédia. Mestrado em Teoria Literária (2008) e Graduação em Comunicação (1992), pela mesma instituição. Estuda os universos de Osman Lins, Hilda Hilst, Clarice Lispector e Fernando Pessoa. Atuou, de 2018 a 2020, como professora de Literaturas Portuguesa e Brasileira na UnB. Integra os Grupos de Pesquisa do CNPq: ‘Estudos Osmanianos: arquivo, obra, campo literário’ e ‘Literatura e Cultura’.

Downloads

Publicado

2021-07-30 — Atualizado em 2021-08-02

Como Citar

REZENDE, L. B. M. VERDADE ARTÍSTICA E RESISTÊNCIA POLÍTICA EM KAFKA E QUEERMUSEU. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 5, n. 01, p. 208-222, 2021. DOI: 10.18817/rlj.v5i01.2587. Disponível em: https://www.ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2587. Acesso em: 26 set. 2021.