“LISTEN TO MY MUSIC”: ARTE, RESISTÊNCIA E CONEXÃO EM ‘2112’

Autores

  • Gabriel Franklin UnB

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v5i01.2576

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a música ‘2112’, presente no quarto álbum de estúdio do grupo musical canadense Rush, lançado em abril de 1976. Ao longo da análise, destaca-se a abordagem dada por Neil Peart, baterista da banda e autor das letras e paratextos que compõem as sete partes da referida faixa, acerca do papel da arte na caracterização da individualidade do ser humano e na conexão deste com os outros membros da coletividade. Constrói-se o argumento de que a arte parte do conhecimento do tempo presente para, num exercício de criação, ponderar acerca do futuro. Ao fim, defende-se que o grupo canadense, através de sua narrativa distópica, meta-artística e multimídia, constrói uma mensagem de resistência frente as forças que oprimem, principalmente, a (cri)atividade artística. Para empreender a análise, utiliza-se conceitos de teoria e crítica literária, história e sociologia da arte, psicologia e outras áreas das ciências humanas.

Palavras-chave: Música. Arte. Resistência. Conexão.

Biografia do Autor

Gabriel Franklin, UnB

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (PósLit/UnB), é Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente, pesquisa sobre Literatura Comparada, Histórias em Quadrinhos e Tradução, com ênfase na relação entre Literatura e outras artes.

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

FRANKLIN, G. “LISTEN TO MY MUSIC”: ARTE, RESISTÊNCIA E CONEXÃO EM ‘2112’. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 5, n. 01, p. 115-131, 2021. DOI: 10.18817/rlj.v5i01.2576. Disponível em: https://www.ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2576. Acesso em: 25 set. 2021.