COMO DOUTORANDOS EM LINGUÍSTICA CONSTROEM A SEÇÃO “IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v5i01.2526

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a seção “Identificação do Problema de Pesquisa” dos projetos de pesquisa de doutorandos em Linguística, descrevendo os passos retóricos recorrentes usados pelos produtores do gênero. Nosso corpus é composto por doze projetos de pesquisa submetidos e aprovados na seleção de doutorado (para ingresso em 2019) do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGEL) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O estudo em questão tem como base a abordagem sociorretórica de gêneros de Swales (1990), Miller (2012) e Bazerman (2005). Para a análise do corpus, primeiramente realizamos a leitura integral dos projetos de pesquisa a fim de que pudéssemos compreender do que tratava cada projeto. Em seguida, nos dedicamos particularmente à leitura da seção de “Identificação do problema de pesquisa” para, a partir disso, identificarmos os passos retóricos, sempre observando as pistas linguísticas que levaram à sua concretização. A partir da análise, evidenciamos a recorrência de quinze passos retóricos. A seção analisada se mostrou bastante heterogênea, servindo como uma “porta de entrada”, apresentando estratégias de aspectos teóricos, metodológicos e empíricos. Assim, os pesquisadores parecem se apropriar de conhecimentos teóricos disponíveis e articulá-los com suas experiências a fim de apresentar uma problemática.

Palavras-chave: Projeto de pesquisa. Gêneros acadêmicos. Análise de gêneros. 

Biografia do Autor

Tâmara Ramalho da Silva, UFPI

Graduanda em Letras pela Universidade Federal do Piauí. Membro do Núcleo de estudos em texto, gênero e discurso (CATAPHORA), na UFPI. Foi pesquisadora bolsista pelo CNPQ e  atuou no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).

Tristan Nathanael Veras Pedrosa, Universidade Federal do Piauí

Graduando em Letras pela Universidade Federal do Piauí. Membro do Núcleo de estudos em texto, gênero e discurso (CATAPHORA), na UFPI. Fui pesquisador bolsista pelo CNPQ e  atuei no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).

Francisco Alves Filho, Universidade Federal do Piauí/ professor

 Professor doutor associado da Universidade Federal do Piauí – UFPI. Coordena o Núcleo de Pesquisa CATAPHORA, através do qual coordena uma pesquisa, com financiamento do CNPQ, sobre letramento acadêmico com foco na escrita de projetos de pesquisa. É membro do comitê de Assessoramento Técnico-Científico do PIBIC/UFPI e do comitê de Pós-Graduação (UFPI). 

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

RAMALHO DA SILVA, T.; VERAS PEDROSA, T. N. .; ALVES FILHO, F. COMO DOUTORANDOS EM LINGUÍSTICA CONSTROEM A SEÇÃO “IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA”. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 5, n. 01, p. 310-329, 2021. DOI: 10.18817/rlj.v5i01.2526. Disponível em: https://www.ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2526. Acesso em: 25 set. 2021.